FLORESTA EM PÉ - FAS - Fundação Amazônia Sustentável

FLORESTA EM PÉ

O Programa Floresta em Pé implementa projetos para o fortalecimento da bioeconomia com foco na conservação ambiental, segurança alimentar, empoderamento comunitário, contribuindo para melhoria da qualidade de vida das populações ribeirinhas da Amazônia com base nos objetivos do desenvolvimento sustentável. O programa atua por meio de uma escuta ativa com as comunidades para desenvolver projetos e captar recursos para viabilizar as demandas. Ao implementá-los realizada oficinas de nivelamento para gerar plano de trabalho em conjunto com as comunidades.

Outra iniciativa foi o Bolsa Floresta, uma recompensa por serviços ambientais para famílias moradoras ou usuárias de 16 Unidades de Conservação (UC) do estado do Amazonas, previsto na Lei nº 3.135/2007, que instituiu a Política Estadual sobre Mudanças Climáticas. Foi implementado entre 2008 e 2022, quando foi substituído pelo Programa Guardiões da Floresta.

EM NÚMEROS (2021)

11

———–

Milhões de hectares de áreas protegidas

8.882

———–

Famílias beneficiadas

16

———–

Unidades de conservação atendidas

37.439

———–

Pessoas beneficiadas

MISSÃO

Implementar projetos para o fortalecimento da bioeconomia com foco na conservação ambiental, segurança alimentar, empoderamento comunitário, contribuindo para melhoria da qualidade de vida das populações ribeirinhas da Amazônia com base nos objetivos do desenvolvimento sustentável.

ÁREAS DE ATUAÇÃO

EMPODERAMENTO COMUNITÁRIO

infraestrutura comunitária

INFRAESTRUTURA COMUNITÁRIA

BIOECONOMIA

MONITORAMENTO AMBIENTAL

GALERIA

PROGRAMA BOLSA FLORESTA

A Fundação Amazônia Sustentável (FAS) concluiu, no mês de março de 2022, um ciclo de atividades relacionado a 14 anos de apoio à implementação do Programa Bolsa Floresta (PBF). Iniciado pela FAS em abril de 2008, esse ciclo foi encerrado com a publicação, pelo Governo do Amazonas, de um edital que irá selecionar instituições que farão a gestão do programa a partir de abril de 2022.

FARINHA RIBEIRINHA

A farinha de mandioca do tipo “ovinha” é produzida em 15 comunidades dos municípios de Uarini e Alvarães, dentro da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Mamirauá, e é empacotada pelos próprios comunitários e comercializada com o nome de “A Ribeirinha”, com apoio técnico da FAS.

GUARANÁ

Em 2012, a FAS iniciou suas atividades com o guaraná da Floresta Estadual de Maués e, nos anos seguintes, passou a apoiar o Projeto de Plano de Safra, uma iniciativa desenvolvida em parceria com a Coca-Cola Brasil. Desde então, o projeto utiliza as boas práticas agrícolas para trabalhar com a o cultivo da cultura do guaraná nativo por meio de sementes nativas e com foco na geração de renda.