Rio Amazonas: uma jornada até a nascente do maior rio do mundo - FAS - Fundação Amazônia Sustentável
DOE PARA FAS

Rio Amazonas: uma jornada até a nascente do maior rio do mundo

REPORTAGENS

Percorrendo a Amazônia Andina em busca de conservar a nascente do rio Amazonas

06/12/2023

Por Virgilio Viana

Em outubro de 2023, embarquei novamente na jornada até a nascente do rio Amazonas. Já tive a oportunidade de visitar esse lugar duas vezes e, nesta terceira vez, foi bem diferente, porque a inspiração que tive há nove anos está cada vez mais perto de se realizar: transformar a área da nascente do rio Amazonas em uma área protegida. 

A nascente fica localizada em uma montanha sagrada para os incas, chamada Nevado Mismi, na província de Caylloma, a mais de 77 quilômetros da cidade de Arequipa, no Peru. A jornada para chegar até lá é longa e árdua. No entanto, antes de contar um pouco sobre o caminho percorrido até a nascente, é importante destacar alguns pontos que observei durante essa nova expedição.

O gelo que antes permanecia no topo das montanhas e levava meses para derreter agora desaparece completamente em apenas uma semana.  

Foto: Bruna Martins

As mudanças climáticas estão afetando a Amazônia Andina

Um dos principais problemas que está ocasionando a falta de água em diversos povoados pela Amazônia Andina é o rápido derretimento das geleiras devido ao aquecimento global.

As geleiras têm uma grande importância na vida das populações andinas, pois é através do derretimento delas que é possível a formação de lagoas e a viabilidade das atividades agrícolas. No entanto, com o derretimento total do gelo no cume das montanhas, está se tornando cada vez mais difícil manter as atividades que dependem da água. O gelo que antes permanecia no topo das montanhas e levava meses para derreter agora desaparece completamente em apenas uma semana.  

Essa situação nos aponta o quão importante é a criação de estratégias de adaptação às mudanças climáticas nos Andes. Muitos povoados foram abandonados por seus moradores na esperança de encontrarem uma melhoria de vida em outro local.

Destaco que esse problema está sendo vivenciado em todo o Andes, não em uma parte específica. O que nos faz ver que a Amazônia está sendo afetada em diversas frentes devido aos impactos das mudanças climáticas.

Muitos povoados foram abandonados por seus moradores na esperança de encontrarem uma melhoria de vida em outro local. 

Foto: Bruna Martins

A busca pela conservação da nascente do rio Amazonas

No ano de 2014, participei de uma expedição até a nascente do rio Amazonas. Durante aquela jornada, em conversa com o guia da atividade, perguntei se aquele local era uma área protegida, e ele me respondeu que ‘não’. Naquele momento, tive um arrepio pelo meu corpo, e tive uma inspiração: tornar aquele lugar uma área de proteção. 

Expedição em 2014 até a nascente do rio Amazonas. 

A nascente do rio Amazonas fica em um local praticamente desértico. O vento é forte, e o ar muito rarefeito. Sem contar que é preciso saber lidar com a altitude de mais de 5 mil metros acima do nível do mar. Caminha-se um pouco, e é preciso parar, porque falta o ar. Mas, é um lugar espetacular e cheio de significados. 

Depois de percorrer trajetos de avião, carro e a pé, ter a oportunidade de ficar frente a frente com a nascente do grande rio Amazonas é algo único.

Além disso, é muito satisfatório saber que o sonho que idealizei há nove anos hoje está próximo de se tornar uma realidade iminente. E, para que isso aconteça, contamos hoje com o apoio de diversas pessoas e instituições do Peru que estão contribuindo para que a criação dessa área protegida no local da nascente se torne realidade.

A conservação da Amazônia é algo a ser pensado em conjunto, e não falo somente da Amazônia Brasileira que conhecemos, mas sim todas elas. A criação de planos de adaptação às mudanças climáticas é urgente para o mundo todo. Nesta parte do Peru, conseguimos ver apenas uma parte do grande impacto que essas mudanças estão causando. Agora, imaginem no restante dos locais onde a assistência demora a chegar, e as pessoas precisam aprender a lidar com tudo isso sozinhas.

Então, espero muito que este seja apenas o início de uma grande transformação que beneficiará na conservação dessa nascente, que acredito ser uma das mais preciosas do mundo. E também impactará a vida dos povos que vivem e cuidam da Amazônia Andina.

Faça parte da nossa rede de parceiros em prol da Amazônia viva.