Energia limpa e acessível: FAS implementa em sua sede o uso de energia solar : FAS Amazônia
24/06/2020
Outros

Energia limpa e acessível: FAS implementa em sua sede o uso de energia solar


A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) leva a ‘sustentabilidade’ em seu nome, missão e propósito de vida para todos seus beneficiários. Como forma de pôr em prática a energia sustentável – que é um dos ODS da ONU ( ODS 7- Energia limpa e acessível), difundir o uso de energias limpas na região, contribuir com o cumprimento dos acordos climáticos e promover a descentralização, descarbonização e digitalização da transformação de energia no Brasil, a FAS adotou, no último mês, o uso de energia solar em sua sede em Manaus, Amazonas.

Após intensa pesquisa, seguido de um processo de decisão, foi iniciado a implementação do projeto de geração de energia distribuída na sede de Manaus. O sistema consiste em captar energia solar por painéis fotovoltaicos, com capacidade de geração de 214 KwP suprindo as necessidades diárias de energia.

O sistema gera energia durante o dia e, à noite, e em dias sem expediente de trabalho ou eventos, o excedente de geração de energia solar não utilizado é devolvido para a concessionária de eletricidade local, diretamente para a rede de distribuição. No total, foram instalados 520 painéis solares.

Para o superintendente administrativo financeiro da FAS, Luiz Villares, os benefícios proporcionados por essa escolha serão vistos na redução do custo de energia, na contribuição com o meio ambiente e também, irá preparar a instituição para o “novo normal”, resultado das transformações já vistas com a pandemia do novo coronavírus.

“A economia estimada é de 85% em nosso custo de energia – só não será 100% porque há uma parcela de custo obrigatória a se pagar para a concessionária local, por força de contrato e lei. Estamos revendo nosso padrão de consumo para os próximos tempos, elevando também nosso padrão de edificação sustentável, com alta aderência ao nosso nome e missão e também com significativa redução do consumo de energia. Esperamos um menor consumo futuro em relação aos anos anteriores e nos prepararmos ao “novo normal” que viveremos pós pandemia coronavírus”, explicou Villares.

Todos os investimentos necessários para a implementação do projeto foram aprovados pelo Conselho de Administração da FAS com uso de recursos de nosso fundo financeiro próprio. Segundo Villares, a previsão de recuperação do investimento está entre quatro e cinco anos, a depender do consumo de energia nos próximos anos.