Jovens amazônidas representam o Brasil em conferência global da juventude sobre clima - FAS Amazônia : FAS Amazônia
28/10/2021
Destaques

Jovens amazônidas representam o Brasil em conferência global da juventude sobre clima


A participação das novas gerações nas ações em prol do meio ambiente e do clima é cada dia mais importante e ativa. Nesta quinta-feira, dia 28 de outubro, até domingo, dia 31, acontece a 16ª Conferência da Juventude sobre Mudança Climática da ONU (COY16, sigla em inglês para Conference of Youth), que discutirá soluções para as mudanças climáticas por aqueles que serão mais afetados por elas, os jovens.

O Brasil terá representantes na COY16 e, entre eles, estão duas mulheres amazônidas, a coordenadora da Rede Jovem de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (SDSN Jovem Amazônia), Gabrielly Lima, e a Supervisora de Educação Ambiental da Fundação Amazônia Sustentável (FAS), que também é voluntária no grupo de trabalho de Mudanças Climáticas da SDSN Jovem, Natália Wagner.

O convite para elas fazerem parte da delegação oficial do Brasil aconteceu após a realização da LCOY Brasil (www.lcoybrasil.org), a primeira conferência nacional da juventude brasileira para tratar sobre a mudança do clima, realizada em setembro de forma on-line.

A LCOY Brasil abriu espaço para discussões com jovens sobre as questões ambientais e climáticas do país e, como conclusão do evento, foi produzida a Declaração da Juventude Brasileira, material que será apresentado pela delegação brasileira na COY16 e integrará a chamada “Declaração da Juventude Global”, com sugestões de soluções para as mudanças climáticas.

Para Gabrielly Lima, o convite para a COY é a demonstração de que a edição brasileira da conferência da juventude gerou bons frutos. “Conseguimos ter a participação de jovens de todo o país, que trouxeram suas vivências em diferentes realidades. Foi um espaço onde pudemos dar voz a eles e suas demandas”, afirma.

A COY16 antecede a COP26 (Conferência entre as Partes), estabelecida pelas Nações Unidas (ONU), que acontecerá 31 de outubro e 12 de novembro, em Glasgow, na Escócia. A COP reúne líderes mundiais para tratar sobre as mudanças climáticas e soluções para a mudança do clima ao redor do mundo.

Natália e Gabrielly também estarão na COP26, assim como a ativista ambiental e consultora da Agenda Indígena da FAS, Samela Sateré Mawé.

Gabrielly avalia a participação nos dois eventos como muito significativa e com grande relevância. “Para nós, é uma honra que três mulheres da Amazônia possam ocupar espaços na COY e COP, apresentando nossas demandas e realidades, enxergamos essa participação como uma janela de oportunidades”, diz. “Nosso maior objetivo é empoderar a juventude e incentivar sua participação na temática ambiental, afinal, os jovens de hoje são os adultos do futuro e é importante que tenham consciência sobre esses assuntos”, finaliza.

Sobre a SDSN Jovem

A SDSN Amazônia é uma rede que visa integrar os países da Bacia Amazônica, mobilizando universidades, organizações não governamentais, centros de pesquisa, instituições governamentais e privadas, organizações multilaterais e sociedade civil para promover a resolução prática de problemas para o desenvolvimento sustentável da região. A iniciativa faz parte da Rede de Soluções de Desenvolvimento Sustentável da ONU (UNSDSN) e tem a secretaria executiva realizada pela FAS.

A SDSN Jovem Amazônia é a divisão voltada para pessoas de até 30 anos, que busca envolver jovens da região na Agenda 2030, tendo como objetivos: educar os jovens sobre os ODS e conduzi-los no caminho dos ODS; conectar jovens no mundo inteiro para trocar ideias, compartilhar experiências e colaborar para alcançar os ODS; e apoiar jovens na criação e replicação de soluções inovadoras para os ODS.

Sobre a SDSN Amazônia

A SDSN Amazônia é uma rede que visa integrar os países da Bacia Amazônica, mobilizando universidades, organizações não governamentais, centros de pesquisa, organizações multilaterais e sociedade civil para promover a resolução prática de problemas para o desenvolvimento sustentável da região. A iniciativa faz parte da Rede de Soluções de Desenvolvimento Sustentável da ONU (SDSN Global) e tem a secretaria executiva realizada pela FAS.