VIII Encontro de Mulheres da RDS Mamirauá reúne 250 comunitários para discutir saúde e direitos da mulher : FAS Amazônia
09/05/2014
Pro-Comunidades

VIII Encontro de Mulheres da RDS Mamirauá reúne 250 comunitários para discutir saúde e direitos da mulher


Aconteceu entre os dias 6 e 8 de março na comunidade Nova Esperança, no município de Fonte Boa (600 km de Manaus), o VIII Encontro de Mulheres da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Mamirauá. Promovido pelo Grupo de Mulheres da RDS Mamirauá, o evento reuniu cerca de 250 pessoas, de 30 comunidades diferentes, para discutir temas como a saUde da mulher, além dos direitos estipulados pela Lei Maria da Penha (n° 11.340/2006).
A iniciativa foi realizada com recursos do componente Social do Programa Bolsa Floresta (PBF), incentivados pelo Banco Bradesco e da farmacêutica EMS, contando com apoio das Prefeituras Municipais de Fonte Boa, Uarinini, Jutaí  e Alavarães, do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), do Centro Estadual de Unidades de Conservação (Ceuc), do Instituto de Desenlvolvimento Sustentável de Fonte Boa (IDS Fonte Boa), da Associação dos Moradores e Usuários da Reserva Mamirauá Antônio Martins (Amurmam).
“Esse evento vem sendo realizado desde 2007, com apoio do Bolsa Floresta e vem contribuindo para organização comunitária e reivindicação dos direitos das mulheres, muitas vezes esquecidas nessas comunidades”, explica a coordenadora da Regional Solimões da FAS, Fernanda Martins.
Na ocasião, também foi disputada a final do Campeonato de Futebol Feminino na RDS Mamirauá, com a vitória do time do Setor Mamirauá. “Todas as mulheres estavam muito envolvidas nessa iniciativa, e registramos nosso agradecimento a comunidade Nova Esperança do Setor Solimões de Baixo, que contribuiu com o espaço para a realização do evento”, finaliza Fernanda.

Bolsa Floresta Social

Um dos quatros pilares do Programa Bolsa Floresta (PBF), o componente Social está voltado para apoiar o desenvolvimento da educação, saUde, comunicação, transporte e demais atividades. O apoio se realiza tanto de forma direta como por meio de parcerias com os governos (locais, estaduais e nacional). Assim, como nos demais componentes, todas as ações nesse sentido são formatadas a partir das demandas e necessidades dos ribeirinhos. As principais demandas para esse componente são lanchas para atendimento emergencial e transporte comunitário, construção e reforma de escolas, assim como de centros sociais.