Autoridades de países africanos prestigiam final do Campeonato de Futebol da RDS do Rio Negro - FAS Amazônia : FAS Amazônia
10/02/2011
Outros

Autoridades de países africanos prestigiam final do Campeonato de Futebol da RDS do Rio Negro


 

Virgílio Viana entregando troféu à capitã da equipe campeã no feminino

Superintendente da Fundação Amazonas Sustentável, Virgílio Viana, entregando o troféu à capitã da equipe campeã no Feminino (fotos: Monick Maciel)

 

Em viagem ao Brasil para conhecer de perto os projetos desenvolvidos pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), especialmente as iniciativas em REDD (Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação) e o Programa Bolsa Floresta, representantes de seis países africanos visitaram neste domingo (06/fev) a Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro e puderam assistir as finais do Campeonato de Futebol “Natureza Conservada”, que reuniu moradores de toda a reserva na comunidade Santa Helena do Inglês.

O campeonato foi organizado pela Associação das Comunidades Sustentáveis do Rio Negro (ACS – Rio Negro) e patrocinado pela Fundação Amazonas Sustentável e pela Prefeitura de Novo Airão. O primeiro lugar, na categoria principal, levou para casa o prêmio de R$ 2 mil, enquanto o segundo ficou com R$ 1,5 mil e o terceiro recebeu a quantia de R$ 1 mil. Sagraram-se campeões as duas equipes do Palmeiras (Feminino e Veterano), da comunidade da Terra Preta, e a equipe do Guarani (Principal), da comunidade do Saracá.

Prestígio Internacional

O ministro do Meio Ambiente da República Democrática do Congo, Gaston Nginayevuvu, manifestou sua alegria em estar presente na final do campeonato e contou que gostaria de levar a experiência ao seu país. “Ver todas as comunidades reunidas, organizadas e felizes para disputar o torneio de futebol é algo que mostra como o trabalho da FAS está funcionando. Essa é uma experiência de sucesso que gostaria que se repetisse em nosso país”, declarou.

 

Ministro da República Democrática do Congo

Ministro da República Democrática do Congo, Gaston Nginayevuvu, na premiação das equipes campeãs, ao lado do tradutor Samir (foto: Monick Maciel)

 

Para o superintendente-geral da FAS, Virgílio Viana, o futebol pode funcionar tanto como uma ferramenta de interação como também de organização social: “Os jogos de futebol são uma característica do Brasil. Por isso, aproveitamos esse aspecto cultural para incentivar a organização das comunidades e a integração, porque, normalmente, eles não agem como se fossem de uma única floresta, que é o que são. Assim, o torneio de futebol fortalece a reserva utilizando uma manifestação espontânea, pois para organizar algo assim eles são todos muito sérios e criteriosos”, declarou.

Meio-campo da equipe principal do Guarani, Jovenilson da Silva Souza, 16, declarou estar muito feliz pelo título. “Ficamos muito emocionados ao chegar na final e ganhar foi realmente incrível. Nós merecemos!”, comemou. Ele também ressaltou outros aspectos do campeonato, como a integração entre as comunidades da reserva. “Algumas comunidades eu não conhecia, algumas pessoas também. É importante fortalecer essa convivência, essa amizade. O campeonato acabou servindo para unir mais as comunidades, e isso é bom, porque a RDS está desenvolvendo as comunidades”, afirmou.