FAS e comunidades avançam na escolha da sede para o Núcleo de Conservação da APA do Rio Negro : FAS Amazônia
15/02/2011
Outros

FAS e comunidades avançam na escolha da sede para o Núcleo de Conservação da APA do Rio Negro


A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) avançou no processo de escolha participativa da localidade onde será construído o Núcleo de Conservação e Sustentabilidade da Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro. No último dia 7, na comunidade Maravilha, a votação com representantes de 12 das 15 comunidades da reserva deu empate, e nova votação foi agendada.

Inicialmente, a FAS realizou levantamentos técnicos com as comunidades locais com base em cinco critérios para a escolha da localidade: demanda por aluno de 6ª a 9ª séries do Ensino Médio; localização centralizada em relação às outras comunidades onde se concentra mais alunos; facilidade de atracação, nível de banzeiro e acesso na época de seca; terreno sem custos e disponível formalmente para a construção; elevado nível de organização da comunidade.

Reunião APA do Rio Negro (Monick Maciel)

Reunião contou com representantes de 12 das 15 comunidades (Fotos: Monick Maciel/FAS)

Já na comunidade Maravilha, a FAS realizou uma consulta às comunidades, durante a qual foram incluídos dois critérios adicionais: segurança e acesso e receptividade para os demais moradores.

Reunião APA do Rio Negro (Monick Maciel)

Novos critérios foram adicionados pelos comunitários

Com base nestes critérios, foi feito um processo de discussão das comunidades, seguido de votação onde cada presidente elegeria a comunidade que, na opinião deles, atendesse o máximo de critérios estabelecidos. O resultado foi o seguinte: Santa Maria, São Sebastião, Monte Sinai e Nova Canaã-Cuieiras obtiveram 1 voto cada, a comunidade Três Unidos obteve 3 votos e Maravilha 5 votos. Em seguida, numa votação em 2º turno, houve empate entre as comunidades Maravilha e Três Unidos com 6 votos cada.

Reunião APA do Rio Negro (Monick Maciel)

Joã Tezza, Valcléia Solidade e Virgilio Viana, da FAS, e Domingos Macedo, do Ceuc, estavam presentes

De acordo com Valcléia Solidade, coordenadora geral do Programa Bolsa Floresta, os comunitários sugeriram que a FAS deliberasse sobre o desempate, porém a Instituição entendeu que o processo mais democrático e participativo seria realizar nova votação. Assim, solicitou aos presentes que discutissem o assunto. Ao final, os comunitários decidiram realizar, no dia 24 de fevereiro, uma reunião na sede da FAS, em Manaus, com um representante de cada comunidade, com o objetivo de chegar à solução que atenderá de forma mais consistente os critérios.

Além de Valcléia, o superintendente técnico-científico da FAS, João Tezza Neto, estava presente à reunião e coordenou os trabalhos. O superintendente-geral da FAS, Virgilio Viana, e o coordenador do Centro Estadual de Unidades de Conservação (CEUC), Domingos Macedo, participaram da abertura dos trabalhos. A reunião foi presenciada, ainda, por uma comitiva de países africanos que veio ao Brasil para intercâmbio de informações sobre REDD (Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação) e manejo florestal.

Reunião APA do Rio Negro (Monick Maciel)

Comitiva africana presenciou dinâmica da reunião