FAS estabelece metas para o cultivo do cacau na RDS do Rio Madeira : FAS Amazônia
03/05/2011
Outros

FAS estabelece metas para o cultivo do cacau na RDS do Rio Madeira


Aprimorar a produção, aumentar o cultivo agroflorestal e industrial. Essas são as metas inseridas no projeto do cacau para a Calha do Madeira, que foram detectadas na oficina de “Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Cacau”, promovida, hoje (3/04), pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), juntamente com a Associação dos Produtores do Rio Madeira (Apramad).

Os indicadores econômicos apresentados pela Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) mostram que a área cultivada anualmente no Amazonas chega a 10.056 hectares, possibilitando a produção de 4.213 toneladas, resultando numa renda anual de R$ 4,5 mil para as famílias que trabalham na produção do cacau.

Reunião Cacau

Diversas instituições participaram da reunião sobre a cadeia produtiva do cacau no Amazonas (Crédito: Elizabeth Cavalcante)

Logo, esse projeto atingirá a RDS do Rio Madeira, formada pelos  municípios de Aripuanã e Manicoré, que conta com 40 comunidades, com mais de 800 famílias beneficiadas pelo componente Renda do Programa Bolsa Floresta, que nessa ação visa apoiar 20 comunidades ao acrescentar melhorias na produtividade e quantidade do cacau.

O superintendente-geral da FAS, Virgílio Viana, explica que “a parceria formalizada no evento visa aprimorar o quadro técnico para atender as demandas dos agricultores da Unidade de Conservação do Rio Madeira, além de agregar valor ao produto para sua comercialização, gerando renda para a população do interior”. Para Marcos Paulo Barros, tesoureiro da Apramad, o resultado da oficina colabora com a formalização de uma agenda de ações que torne o cacau produto integrante da RDS do Madeira, possibilitando sua infraestrutura para o beneficiamento, armazenamento, escoamento e comercialização da produção.

A Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), Banco do Brasil e Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estudam mecanismos para proporcionar financiamentos aos agricultores, associações e cooperativas a juros de operações agrícolas.

Na ocasião da oficina, a FAS também formalizou parceria com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (IDAM), Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), Centro Estadual de Unidades de Conservação (CEUC), Associação da RDS do Rio Madeira e a Cooperativa Verde de Manicoré (Covema).