FAS reúne autoridades e lideranças de Fonte Boa para avaliar o Programa Bolsa Floresta : FAS Amazônia
15/04/2009
Outros

FAS reúne autoridades e lideranças de Fonte Boa para avaliar o Programa Bolsa Floresta


Por Marina Guedes

Autoridades e lideranças do município de Fonte Boa (aproximadamente 665 quilômetros de Manaus) participaram – no mês de março – de reuniões promovidas pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS). Além de avaliar o andamento do Programa Bolsa Floresta naquela localidade, o objetivo era averiguar as necessidades, dúvidas ou eventuais questionamentos dos moradores e das pessoas inseridas na região do médio Solimões.
 

Após as ações em Fonte Boa, Aniceto Barroso esteve na reunião em Monte Cristo (Foto: Jean Pereira)
 
A elaboração de cursos com temática ambiental voltados às crianças foi uma das necessidades apontadas pelos participantes. O assunto foi levantado pelo diretor presidente do Instituto de Desenvolvimento Sustentável de Fonte Boa (IDS), José Maria B. Damasceno. Ele disse que a demanda surgiu com base no perfil da população, composta em grande parte por crianças. Segundo Damasceno, a idéia é que esta atividade forme agentes ambientais mirins. 
  
O sucesso em práticas sustentáveis de manejo fez surgir um problema até então inexistente: a disputa por certas localidades, como lagos onde a presença de determinados pescados é intensa. A questão foi reforçada pelo vereador e vice-presidente da Câmara Municipal de Fonte Boa, Odorico Vasconcelos. Conforme explicou o vereador, o sucesso na comercialização de peixe (principalmente o pirarucu) está fazendo com que algumas famílias aleguem serem proprietários de espaços como lagos no interior de áreas de preservação.
 
Interação
Para professores e alunos, a reunião reforçou a importância da proximidade junto aos contemplados pelo Bolsa Floresta. Quanto às demandas pelos moradores, o destaque foi para a produção e entrega de novos materiais didáticos sobre questões ambientais bem como do próprio Programa Bolsa Floresta. Ficou claro, por exemplo, qual o papel do morador da reserva dentro do Programa. Os componentes (Social, Renda e Associação) também puderam ser esclarecidos aos envolvidos.  
 
Para o coordenador de relações institucionais da FAS, Aniceto Barroso, o resultado do encontro foi positivo. “Reuniões como estas nos permitem alavancar debates sobre o meio ambiente, como o tratamento dado ao lixo, por exemplo. São importantes oportunidades para tratarmos de temas como a representatividade do Estado no município”, avalia Aniceto. A necessidade de aproveitar melhor datas e comemorações cívicas também foi lembrada pelo coordenador no sentido de “trabalhar temas educacionais voltados à população”.
 
As próximas articulações, ainda segundo Aniceto Barroso, estão previstas para acontecerem em Maués, Manacapuru, Iranduba, Novo Airão, Beruri e Anamã. Cada um dos trabalhos será organizado em parceria com os coordenadores das regionais onde a FAS atua.