Intercâmbio entre chefs de cozinha e ribeirinhos do Amazonas pretende colaborar para restaurante de culinária regional : FAS Amazônia
21/12/2011
Outros

Intercâmbio entre chefs de cozinha e ribeirinhos do Amazonas pretende colaborar para restaurante de culinária regional


A Fundação Amazonas Sustentável (FAS), por meio do Programa Bolsa Floresta (PBF) Renda, entregará um restaurante completo no início de 2012, na Comunidade do Saracá, no município de Iranduba (26 km de Manaus), no Amazonas. Além disso, graças a uma parceria com o restaurante manauara Banzeiro Cozinha Amazônica foi realizada, nos últimos dias 08 e 09 de dezembro, uma capacitação em culinária e atendimento a clientes a 15 comunitários da Reserva que trabalharão no restaurante. Ministrada pelo chef Felipe Schaedler, a capacitação teve o objetivo de mostrar aos comunitários, como obter um melhor aproveitamento dos sabores amazônicos. Os ensinamentos serão aplicados no restaurante da Comunidade, que poderá auxiliar na geração de renda e no Turismo da região, além de valorizar a culinária regional.

“Fazer um curso para quem domina a cozinha regional e saber tirar o melhor dos sabores amazônicos é o grande desafio, porem o melhor é a troca de informação. Eu aprendi muito com as comunitárias também”, afirma o chef Felipe Schaedler especialista em comida italiana pela Escola de Gastronomia Flores da Cunha, no Rio Grande do Sul. Para ele, a experiência única presenciada no Rio Negro servirá de inspiração para o contínuo aperfeiçoamento na produção dos saborosos pratos regionais.

Comunitários de várias localidades da RDS Rio Negro participaram da ação (Acervo/FAS)

Na capacitação, para que todos os envolvidos estejam preparados para o momento da entrega e funcionamento do restaurante, os moradores da comunidade descobriram várias receitas que podem ser produzidas, utilizando os ingredientes da culinária regional, como o moderno e saboroso ‘Filé de Peixe à Milanesa’ e a elogiada ‘Moqueca de Peixe’, preparados com ingredientes tipicamente amazônicos.

Além das dicas para o gerenciamento de uma cozinha, os comunitários foram apresentados a técnicas simples e que podem ser adotadas no dia a dia dos gastrônomos, resultados da qualidade de um dos mais renomados restaurantes da capital amazonense. “O curso para nós é uma das melhores coisas, pois vai nos ajudar muito para melhorar o que fazemos e diversificar os cardápios para os nossos clientes”, comemora Diamantina Cruz, moradora da comunidade de Três Unidos.

Receitas utilizaram filés de Dourado, Tucunaré e Pirarucu, típicos da região amazônica (Acervo/FAS)

O novo restaurante, deverá receber estrutura completa através dos recursos do Bolsa Floresta Renda, que investe R$ 140 mil por ano em iniciativas para o crescimento sustentável. Na RDS Rio Negro, estão localizadas 1.649 pessoas beneficiadas do Programa. A expectativa é alcançar diretamente 93 pessoas, distribuídas em 27 famílias. Na próxima etapa, quatro ribeirinhos participarão de um estágio em Manaus, se ambientando com a dinâmica de empreendimentos desse porte. No futuro, pretende-se expandir a iniciativa para outras Unidades de Conservação (UCs) do estado do Amazonas.

“Com isso, queremos fomentar o turismo de base comunitária na região. Os brasileiros precisam conhecer a Amazônia para perceber a importância desse patrimônio. Ao mesmo tempo, as comunidades precisam se preparar para receber turistas. E ambos, garantirem que isso não prejudicará o meio ambiente”, afirma Virgílio Viana, superintendente geral da FAS. 

Cerca de 15 alunos participaram da oficina. Quatro deles cumprirão estágio no Restaurante Banzeiro, em Manaus (Acervo/FAS)