EnglishFrenchPortugueseSpanish

Lideranças comunitárias e ribeirinhas fortalecem importância do Programa Bolsa Floresta em encontro virtual

Lideranças comunitárias e ribeirinhas fortalecem importância do Programa Bolsa Floresta em encontro virtual
março 27, 2022 forner

Lideranças comunitárias e ribeirinhas fortalecem importância do Programa Bolsa Floresta em encontro virtual

Fundação Amazônia Sustentável realizou a 34ª edição do Encontro de Lideranças para compartilhar demandas, ações e estratégias com líderes de Unidades de Conservação.

27/03/2022

Mais de 100 pessoas participaram, nesta semana, da trigésima quarta edição do Encontro de Lideranças Comunitárias com representantes de Unidades de Conservação (UCs) do estado. O evento foi realizado de forma virtual pela Fundação Amazônia Sustentável (FAS).

A ação tem o objetivo de apresentar aos líderes as novidades dos projetos executados pela FAS, além de nivelá-los em relação às atualizações do Programa Bolsa Floresta, que passa por uma reestruturação e teve o nome alterado para Programa Guardiães da Floresta, além do aumento do valor mensal para o beneficiários, que passa de R$ 50 para R$ 100.

O novo programa será coordenado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema/AM), que lançou um edital, semana passada, para selecionar instituições que farão a gestão do Guardiães da Floresta. Após a seleção, o programa ampliará o alcance de mais de nove mil para 14.150 famílias que vivem em 28 UCs.

“A FAS conseguiu transformar 50 reais em auxílio na geração de renda, poços artesianos, ambulanchas, entre outros benefícios. O povo hoje tem acesso à água potável, saúde e educação, que representa uma melhoria que a gente não vislumbrava há anos atrás e que, hoje, melhorou muito”, avaliou Emerson Moreira, morador da comunidade Pindabaú, que fica na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Canumã (localizada entre os municípios de Novo Olinda e Borba).

Desde 2008, a FAS foi responsável por realizar a gestão do Bolsa Floresta, aplicando integralmente os recursos recebidos em doação pelo Governo do Estado. Adicionalmente, a FAS captou recursos, de fontes privadas e internacionais, para desenvolver ações socioambientais complementares ao programa, que possibilitaram melhoria da qualidade de vida às famílias beneficiadas em 16 Unidades de Conservação Estaduais (UCEs) contempladas.

Todos os recursos gerenciados pela FAS são auditados pela Pricewaterhouse Coopers Brasil Ltda ou PwC Brasil, que é uma das auditorias mais renomadas do mundo. Desde 2008, foram 27 auditorias independentes aprovadas sem ressalvas.

Como resultados, o Programa Bolsa Floresta contribuiu com a proteção de 10,9 milhões de hectares de florestas, o que representou uma queda de 43% na taxa de desmatamento, nas áreas beneficiadas (2008-2020), de acordo com dados oficiais do Governo Brasileiro. Ao mesmo tempo, que também houve o aumento de 202% na renda média das famílias  (2009-2019) — comprovando a possibilidade da conservação da floresta e da geração de renda em comunidades ribeirinhas. Tudo isso tendo a aprovação de mais de 85% dos beneficiários, de acordo com pesquisa de opinião independente feita pela Action Pesquisa de Mercado, em 2019.

“Os recursos iniciais do Programa Bolsa Floresta, destinados pelo Governo do Amazonas terminaram em 2015 e, desde então, a FAS aporta recursos próprios, com apoio da iniciativa privada, para manter o programa ativo”, disse Virgilio Viana, superintendente geral da FAS.

A instituição recebeu R$ 20 milhões do Governo do Amazonas, em 2008. Esse recurso, por meio de uma gestão financeira eficiente, foi integralmente aplicado no repasse às famílias beneficiadas, totalizando mais de R$ 26,6 milhões investidos, até abril de 2015. A partir de então, a FAS implementa o programa com recursos próprios.

A trajetória do programa pode ser conferida no livro “Programa Bolsa Floresta: Trajetória, lições e desafios de uma política pública inovadora para a Amazônia”, lançado recentemente pela FAS. Maria Itanilde Barbosa de Andrade, moradora e líder da Floresta Estadual de Maués (localizada no município de Maués), agradeceu pela parceria com a instituição. “A gente agradece a FAS, que durante esse tempo aguentou o rojão para pagar esses 50 reais”, disse.

Arquivos de vídeos com depoimentos de beneficiários:

https://drive.google.com/drive/u/2/folders/1OVrofTTkU_qebhZe-EAcvHo7ytbirqa3

Sobre a FAS

Fundada em 2008 e com sede em Manaus/AM, a Fundação Amazônia Sustentável (FAS) é uma organização da sociedade civil e sem fins lucrativos que dissemina e implementa conhecimentos sobre desenvolvimento sustentável, contribuindo para a conservação da Amazônia. A instituição atua com projetos voltados para educação, empreendedorismo, turismo sustentável, inovação, saúde e outras áreas prioritárias. Por meio da valorização da floresta em pé e de sua sociobiodiversidade, a FAS desenvolve trabalhos que promovem a melhoria da qualidade de vida de comunidades ribeirinhas, indígenas e periféricas da Amazônia.