Manejar para Conservar apoia geração de renda na RDS Rio Negro : FAS Amazônia
09/07/2013
Outros

Manejar para Conservar apoia geração de renda na RDS Rio Negro


Uma parceria entre a Fundação Amazonas Sustentável (FAS), o Instituto Camargo Correa e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (ICC/BNDES) pretende melhorar a qualidade de vida ribeirinha com geração de renda sustentável. O Projeto Manejar para Conservar, iniciado ano passado, potencializa a extração madeireira como alternativa para geração de renda na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Rio Negro, por meio do apoio à legalidade da atividade, realização de capacitações voltadas à adoção de boas práticas para a operação e gestão dos Planos de Manejo Florestal Sustentável de Pequena Escala (PMFSPE), bem como o desenvolvimento de ações estruturantes. A expectativa é beneficiar mais de 160 famílias, em um incremento de renda que pode chegar à R$ 6 mil.

Na Ultima sexta-feira, 5, o Diretor Executivo do ICC, Francisco Azevedo, acompanhou o desenvolvimento das atividades dentro da RDS, nas comunidades Tiririca e Tumbira, acompanhado do superintendente geral da FAS, Virgílio Viana.

Na reserva, o projeto apoia PMFSPE, modalidade de manejo florestal voltada  aos legítimos possuidores de terras com no máximo 500 hectares. O Manejar para Conservar investe na prática do manejo, amparando os beneficiários nos trâmites legais, capacitando-os no exercício das práticas comerciais do ramo e viabilizando infraestrutura específica para apoio à atividade.

Desde o início do projeto, já foram realizadas quatro oficinas para empoderamento do grupo produtivo, focadas na adoção de boas práticas e ao empreendedorismo. Cada uma atendeu a uma necessidade específica: planejamento, formação de preços e técnicas para negociação da madeira, elaboração de plano de aplicação de capital de giro, conhecimento da legislação e técnicas para boas práticas de extração de madeira.

Para viabilizar a iniciativa, o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), parceiro da FAS, com a participação dos beneficiários realizou os inventários florestais e elaborou os planos de manejo e exploração submetidos ao licenciamento ambiental junto ao Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam).

Uma rodada de negócios promovidas pela FAS foi realizada no início de 2013 e aproximou detentores do plano e possíveis compradores. Mais de 800 m³ foram negociados com os polos moveleiros de Novo Airão e Manacapuru, além da IndUstria de Pisos da Amazônia, que planeja uma compra significativa.

“Este projeto é totalmente alinhado ao Programa Bolsa Floresta. Os investimentos definidos no âmbito do PBF nas comunidades da RDS do Rio Negro no decurso dos Ultimos anos demonstram o claro interesse na viabilização de planos de manejo florestais como alternativa de geração de trabalho e renda e o projeto Manejar para Conservar complementa e incrementa a visão de desenvolvimento sustentável”, comenta Michelle Costa, coordenadora de Projetos  da FAS.

NUmeros

Hoje, a reserva conta com nove PMFSPE licenciados, credenciando a venda de mais de 3 mil m³ de madeira legalizada, de 46 espécies florestais de terra-firme. Em seu primeiro ano de operação, o projeto beneficiará diretamente mais de 160 famílias que vivem na reserva e poderá incrementar a renda bruta familiar em até R$ 6 mil, excluídos o pagamento de taxas, impostos e custos de transporte.