Nova etapa de capacitação do Projeto Primeira Infância Ribeirinha começa em agosto : FAS Amazônia
18/07/2014
Outros

Nova etapa de capacitação do Projeto Primeira Infância Ribeirinha começa em agosto


O Projeto Primeira Infância Ribeirinha (PIR), desenvolvido pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) em parceria com o Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS) e a Secretaria de Estado da SaUde (Susam), segue levando para comunidades ribeirinhas ações voltadas à valorização do desenvolvimento de crianças de zero a seis anos, com financiamento da Fundação Bernard Van Leer. A Ultima etapa de capacitação dos agentes de saUde da reserva, que compreende 19 comunidades situadas às margens do Rio Negro, está programada para os dias 14, 15 e 16 de agosto.
A ação tem como objetivo capacitar agentes de saUde em desenvolvimento infantil, na metodologia elaborada pela FAS, com apoio de especialistas e da Susam. São lecionadas técnicas voltadas ao atendimento e atenção à criança, com ênfase na estratégia e conteUdo da visitação e na situação atual da infância nas comunidades ribeirinhas. Hoje, 210 crianças já foram beneficiadas com o projeto.
O resgate da autoestima dos agentes de saUde também passou pela melhoria de condições de trabalho. Os participantes receberam, além do treinamento técnico, a “Maleta da Primeira Infância”, contendo mochila, boné, caderneta da criança, maleta infância, balança, fita métrica, aparelho de pressão, material didático da Unicef e o guia prático do agente comunitário.
“Os resultados das capacitações anteriores foram animadores. Elas despertaram um enorme entusiasmo nos agentes, que passaram a realizar uma sequência estruturada de 93 visitas domiciliares que contemplam mulheres gravidas e crianças de zero a seis anos. E em cada visita, são acompanhados os principais indicadores de desenvolvimento infantil como a capacidade motora, socioafetiva, cognitiva e de linguagem,” explica a enfermeira Rhamilly Amud Karam, coordenadora da iniciativa.
O período entre zero a seis anos é fundamental para o desenvolvimento da criança. Ã? uma fase determinante para a capacidade de cognição e sociabilidade do indivíduo, em que o cérebro absorve boa parte das informações para o futuro. O amadurecimento, nesse período, depende do desenvolvimento e da arquitetura do cérebro.
“Esse projeto já apresenta suas primeiras lições. Primeiro, é possível dizer que já temos um modelo de atendimento à primeira infância adaptado à realidade ribeirinha da Amazônia. Entretanto, é necessário avaliar e aprimorar essa metodologia. Segundo, ficou clara a importância das parcerias envolvendo instituições não governamentais, órgãos de governo e instituições de pesquisa. Essas parcerias foram essenciais para os avanços alcançados”, esclarece o superintendente da FAS, Virgílio Viana.

PIR como referência internacional

O projeto tem sido credenciado em vários eventos de saUde para a primeira infância na América Latina. O PIR esteve no XI Encontro Internacional sobre Primeira Infância e Educação Pré-Escolar, organizado pelo Centro Latino-Americano de Referência para a Educação Infantil, o Ministério da Educação e do Centro de Conferências Internacional da RepUblica de Cuba, entre os dias 8 a 11 de julho. Em maio, ele contribuiu no planejamento da Rede Panamericana da Investigação em Visitação Domiciliar, que reuniu programas de saUde infantil de várias partes da América Latina em Santiago, no Chile.