Produtores familiares da RDS do Rio Madeira recebem consultorias do “I Mutirão de Negócios da Floresta” : FAS Amazônia
05/04/2016
Geração de renda | Pro-Comunidades

Produtores familiares da RDS do Rio Madeira recebem consultorias do “I Mutirão de Negócios da Floresta”


Entre os dias 04 e 09 de abril o Projeto Empreendedorismo Ribeirinho realizará o “I Mutirão de negócios na Floresta”, um conjunto de cursos e consultorias técnicas para empreendedores comunitários das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDSs) do Rio Madeira e Amapá. A ação tem como objetivo aprimorar técnicas de empreendedorismo das cadeias do cacau, castanha, açaí e roçados de propriedade familiar, por meio de uma parceria entre Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e o Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae-AM).

A atividade contará com seis profissionais da área de negócios e empreendedorismo do Sebrae-AM, que devem fornecer consultorias técnicas para 15 atividades de geração de renda da calha do Madeira. Esses empreendimentos já recebem apoio do Programa de Geração de Renda (Bolsa Floresta), por meio de uma parceria entre Fundo Amazônia/BNDES e Banco Bradesco.

Serão realizados quatro cursos voltados ao empreendedorismo, aprimoramento de liderancas, e desenvolvimento das características empreendedoras da cadeia produtiva do cacau, todos na comunidade do Verdum, RDS do Rio Madeira. Um consultor cuidará ainda dos processos de pós-formalização das empresas, que inclui a gestão de taxas e documentos da legislação brasileira de Micro e Pequenas Empresas. 

“Essa ação vem reforçar o estimulo à educação empreendedora para os negocios de base comunitaria apoiados pela FAS, e visa especialmente o desenvolvimento de novas habilidades aliançado ao fortalecimento das atividades empreendedores que so valoram a cadeia de negócios na floresta”, explica Wildney Mourão, supervisor de empreendedorismo da FAS.

O próximo mutirão deve ocorrer entre os dias 18 a 24 de abril na RDS do Uatumã, com uma equipe de oito especialistas que orientarão as cadeias do turismo, agricultura familiar, farinha e pesca. Também devem ser promovidas consultorias em gestao de negócios de sete pousadas do Turismo de Base Comunitária (TBC), e dois cursos de empreendedorismo e negócios sustentáveis, nos moldes das ações realizadas no Rio Madeira.