RDS do Uatumã já entra na fase de monitoramento ambiental sobre a agricultura familiar : FAS Amazônia
25/10/2008
Outros

RDS do Uatumã já entra na fase de monitoramento ambiental sobre a agricultura familiar


Entre 8 e 25 de agosto, 27 estudantes da UFAM – Universidade Federal do Amazonas trabalharam na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã na identificação das áreas que estarão disponíveis para gerar serviços ambientais.  O trabalho de monitoramento ambiental é uma das etapas da implantação do Programa Bolsa Floresta e visa fazer um levantamento de todas as roças do local para conhecimento dos limites da agricultura familiar na região, identificando o marco zero do monitoramento ambiental da RDS.  A RDS do Uatumã tem uma área de 424.450 hectares, com aproximadamente 1.200 pessoas, distribuídas em cerca de 250 famílias.
A escolha dos estudantes da UFAM é fruto de convênio firmado entre a Fundação Amazonas Sustentável e a universidade e contempla estudantes de Engenharia Florestal, Engenharia Agronômica e Engenharia de Pesca.  A missão também conta com o acompanhamento dos professores Narrubia de Almeida, coordenadora do curso de Engenharia Florestal, Manuel Lima, coordenador do estágio de Engenharia Florestal e Ulisses Cunha, professor da área de manejo no curso de Engenharia Florestal.  Carlos Gabriel Koury, engenheiro florestal do IDESAM (Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas) e Rafael Salles, técnico de geoprocessamento da FAS também integraram a expedição.


Universitarios na comunidade do Abacate, na RDS do Uatumã, monitorando o roçado

O IDESAM tem o importante papel de facilitar o contato direto dos membros da expedição com os comunitários na RDS do Uatumã.  Para Carlos Gabriel Koury, o IDESAM, que é co-gestor de Uatumã, “deu todo o apoio logístico para aproximar os comunitários do grupo de georreferenciamento, pois a experiência humana, cultural e ambiental dos técnicos do instituto é uma bagagem decisiva para a integração nesse momento histórico do projeto na RDS do Uatumã.”
João Tezza Neto, diretor técnico-científico da Fundação Amazonas Sustentável destaca os benefícios mútuos da parceria: “A parceria com a UFAM é um esforço de desenvolvimento metodológico visando esse tipo de monitoramento.  Por outro lado, a participação dos universitários é essencial para a formação dos futuros profissionais e para os desafios da oferta de serviços ambientais de base florestal.”