Arqueiros do Amazonas conquistam três medalhas no 23º Panamericano de Tiro com Arco, na Costa Rica : FAS Amazônia
08/06/2016
Outros

Arqueiros do Amazonas conquistam três medalhas no 23º Panamericano de Tiro com Arco, na Costa Rica


Os atletas Drean Silva e Gustavo Paulino conquistaram prata e bronze no 23º Campeonato Pan-Americano de Tiro com Arco, realizado entre os dias 23 e 30 de maio na Costa Rica. Os atletas fazem parte do Projeto Arquearia Indígena no Amazonas, desenvolvido pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) em parceria com a Federação Amazonense de Tiro com Arco (Fatarco) e Governo do Amazonas.

Drean (Iagoara, na etnia Kambeba) conquistou duas medalhas de bronze, nas categorias masculino juvenil e adulto, e uma medalha de prata na categoria mista adulta. Já Gustavo Paulino (Ywitu) alcançou sua primeira em competições internacionais, o bronze na categoria masculino adulto.

“Estou muito contente com os resultados, pois estamos treinando constantemente para fazermos o melhor nas competições. Agora é seguir a preparação mirando o ouro em outras competições”, afirma Gustavo.

Em 2016, o projeto já havia conquistado um bronze com o atleta indígena amazonense Nelson Silva de Moraes (Inha, na etnia Kambeba) na AAE Arizona Cup, campeonato internacional de tiro com arco realizado na cidade de Phoenix, nos Estados Unidos.

“Isso mostra a evolução que os nossos atletas tem atingido, considerando que o projeto iniciou há pouco mais de dois anos. Esses resultados são frutos de uma rotina de treinamentos intensa, de muita precisão”, explica o treinador da equipe, Aníbal Forte.

Sobre o Projeto

O projeto Arquearia Indígena do Amazonas tem o objetivo de contribuir para a popularização da modalidade esportiva e fortalecer a imagem e autoestima das populações indígenas da Amazônia. A ação é uma iniciativa da FAS, em parceria com a Federação Amazonense de Tiro com Arco (Fatarco), o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Juventude, Desporto e Lazer (Sejel), a Confederação das Organizações e Povos Indígenas do Amazonas (Coipam) e Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab).
A iniciativa foi aprovada na Lei de Incentivo ao Esporte (Lei nº 11.438), e conta com o patrocínio das Lojas Bemol, Fogás e Val Group. A ação apoiou de forma inédita a formação de atletas de alto rendimento e o fortalecimento da equipe brasileira de tiro ao arco para competições locais, nacionais e internacionais, incluindo a Olimpíada Rio 2016.