Decisão comunitária: na RESEX Rio Gregório, Bolsa Floresta apoiará construção de escolas e postos de saúde : FAS Amazônia
26/02/2013
Outros

Decisão comunitária: na RESEX Rio Gregório, Bolsa Floresta apoiará construção de escolas e postos de saúde


Subir em um bote o Rio Juruá e o Rio Gregório durante dois dias é a fase final de uma longa viagem rumo à Reserva Extrativista (RESEX) do Rio Gregório, uma das 15 Unidades de Conservação (UCs) atendidas pelo Programa Bolsa Floresta (PBF). Neste início de ano, a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) percorreu essa distância para ouvir os comunitários, em mais uma Oficina para Definição de Investimentos. Em nUmeros totais, 86 comunitários, representantes de 25 comunidades, decidiram pela construção e reformas de escolas e de um posto de saUde, além de outros investimentos em geração de renda, melhoria de qualidade de vida e fortalecimento do associativismo comunitário.

As oficinas contaram com a participação da nova diretoria da Associação de Moradores da Resex Rio Gregório (AMARGE). Em 2013,  tal como ano passado, a reserva priorizou investimentos na educação. Três escolas serão entregues com recursos do Bolsa Floresta Social, com apoio da Prefeitura de Eirunepé: nas comunidades de Santo Amaro, Maravilha e Monte Alegre. A inauguração contará com a presença do superintendente geral da FAS, Virgílio Viana, nos dias 25 e 26 de março.

Para este ano, estão previstas a construção de mais cinco escolas: nas comunidades Bacuri e Futuro, Extrema, Prainha e Fortaleza. Também foram planejadas as reformas nas comunidades Primeiro de Junho e Atalaia, com investimentos alocados pela comunidade para 2012.

Por meio da decisão comunitária, o Bolsa Floresta também colaborará com a infraestrutura de transporte dos estudantes. Ano passado, foram entregues cinco canoas com motor para transporte dos alunos. Este ano, a comunidade a Resex ganhará mais uma, para a comunidade do Maciel.

Também serão construídos dois postos de saUde: o primeiro na comunidade do Ubim e outro em comunidade a ser definida pela AMARGE. Serão entregues ainda cinco grupos geradores, para geração de energia elétrica em cinco comunidades. Sete unidades já haviam sido entregues ano passado, com capacidade para abastecer até 20 casas cada.

Investimentos na Geração de Renda

Pelo componente Renda do Bolsa Floresta, foram definidos mais investimentos. A Resex Rio Gregório ganhará uma peladeira de arroz, para beneficiamento da produção e venda do eventual excedente, além de uma máquina de solda, para reparo de rabetas e outras embarcações. Para o transporte da produção, as comunidades do Progresso, Extrema de Cima e 1° de junho ganharão canoas com motores.

O barco da AMARGE, doado em 2010 pela FAS, será reformado. Serão entregues ainda um kit para a produção de farinha, três roçadeiras, para as comunidades Boa Vista, Ubim e Santo Amaro, um engenho de moer cana para a comunidade São João, além da reforma de um aparelho de rádio, também entregue pela FAS.

Para fortalecer o associativismo comunitário, o Bolsa Floresta fornecerá apoio com ajuda de custo para participação dos diretores em eventos de nível nacional, pagamento de secretários e manutenção de equipamentos da associação. A expectativa também é reformar a sede da AMARGE, com mão de obra comunitária.

O subcoordenador da regional Juruá-Jutaí, Marcelo Castro, comentou os avanços recentes obtidos na reserva. Para ele, que acompanha a Resex há quatro anos, é perceptível a evolução nas decisões tomadas pelos comunitários.

“A reserva trabalha junto com o Bolsa Floresta: como é um processo participativo, eles focam em cada necessidade e respeitam a decisão dos anos anteriores. O associativismo tem se fortalecido com essas decisões importantes”, comenta.

A Resex Rio Gregório

Para a realização dessa oficina, a equipe do PBF partiu do município de Eirunepé, que dista 1106 km de Manaus: quase três vezes a extensão integral da Via Dutra, que liga as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. A Resex Rio Gregório é uma das 15 UCs beneficiárias do Programa Bolsa Floresta, um dos maiores programas de pagamento por serviços ambientais do mundo. Somente nesta reserva, são 25 comunidades atendidas e mais de 800 pessoas beneficiadas diretamente.

Atualmente, o PBF beneficia mais de 36 mil pessoas, em 541 comunidades do Amazonas.