Moradores da RDS Cujubim têm apostado no Manejo de Pirarucu para gerar renda : FAS Amazônia
28/09/2016
Geração de renda

Moradores da RDS Cujubim têm apostado no Manejo de Pirarucu para gerar renda


Comunidades ribeirinhas da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Cujubim, na zona rural do município de Jutaí-AM (632 km de Manaus), encontraram no leito do rio uma saída sustentável para gerar renda. Graças ao protagonismo dos próprios moradores, o manejo sustentável de pirarucu tem se tornado pauta nas duas comunidades da reserva, como uma alternativa para produção sem degradar a floresta. A ação vem sendo apoiada pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), por meio do Fundo Amazônia/BNDES e Banco Bradesco, Governo do Amazonas e pela Operação Amazônia Nativa (Opan).

As atividades voltadas ao manejo acontecem desde 2013 na reserva, quando foi realizada a primeira oficina com os moradores das Vilas Paraíso e Cujubim. Desde então são realizadas atividades de mobilização, preparação e despesca, entre os meses de agosto e setembro. Este ano as atividades iniciaram nos dias 18 e 19 de agosto na Vila Cujubim, com uma oficina que definiu o regimento interno da atividade: um acordo comum entre com os deveres de cada participante do processo.

“Um dos grandes destaque é a autonomia da associação de moradores da reserva, que tem atuado para conseguir as autorizações juntos aos órgãos competentes, e mobilizado esforços para engajar os comunitários na atividade”, explica o coordenador da Regional Juruá-Jutaí da FAS, Marcelo Castro.

Entre os dias 20 e 26 de agosto, foi realizada a contagem dos peixes. O censo dos lagos permite a despesca de uma cota dos pirarucus, assegurando a conservação do estoque para o ano seguinte.

Com o orçamento participativo do Programa de Geração de Renda da FAS, desde 2010 as comunidades passaram a contar com novos kits de pesca, que inclui redes e boias, além de lonas e sal para beneficiamento do pescado: a ideia é fazer com que a produção beneficiada dure por mais tempo, superando a distância logística entre pescado e consumidor. A Fundação participa com demais parceiros no fornecimento combustível para o escoamento da produção, e acompanhamento técnico para o desenvolvimento de todas as etapas da atividade.

Na liderança do processo está a Associação de Moradores da RDS Cujubim, com apoio da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), por meio do Fundo Amazônia/BNDES, Governo do Amazonas, através da SEMA e Operação Amazônia Nativa (Opan).

“O manejo de pirarucu é uma atividade que tem se consolidado nos Ultimos anos na RDS Cujubim, promovendo geração de renda entre os moradores, e ajudando a conservar os lagos da região”, explica Marcelo Castro.