RAP amazônico sobre Agenda 2030 é apresentado na Virada Sustentável São Paulo : FAS Amazônia
25/08/2017
Outros

RAP amazônico sobre Agenda 2030 é apresentado na Virada Sustentável São Paulo


Menos de um mês depois de “virar Manaus” na Virada Sustentável, o Amazonas desembarcou no Sudeste para a edição paulista do evento. Convidados pela organização local, o rapper Jander Manauara e a coordenadora da Agenda Urbana da FAS e da Virada em Manaus, Paula Gabriel, participaram da abertura do evento com a apresentação do RAP dos ODS.
“A música une, rompe barreiras. E a gente veio pra isso, trazer um pouco da música e da calorosidade amazônica pra quebrar esse frio”, comentou Jander antes de iniciar o rap, na abertura da Virada.
De autoria dos rappers amazonenses Jander Manauara e Denis “LDO”, o RAP fala sobre os dezessete Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que compõem a Agenda 2030 da ONU, em forma de rimas. Os ODS norteiam ações mundiais em áreas como a erradicação da pobreza, educação, saúde, água e cidades sustentáveis, na busca pela superação desses desafios com medidas ousadas e transformadoras.
Segundo a coordenadora da Virada em Manaus, Paula Gabriel, o RAP é um meio de alcançar as pessoas e mostrar os ODS dependem de pequenas ações que começam no dia a dia.
“A gente quer mostrar que o tema dos ODS não é algo acadêmico, só para ser visto na tv ou em reuniões da ONU, por exemplo. Alcançar os ODS está em jogar o lixo de casa no lugar certo, economizar a água do banho, querer uma educação melhor. É algo que está próximo de todos nós”, comenta Paula, que tocou flauta na apresentação do RAP na abertura.
Apresentado pela primeira vez na Virada Sustentável Manaus, no último mês, o RAP ainda foi destaque no lançamento do Prêmio Desafio 2030 + Prêmio Abraps-Virada Sustentável e será apresentado ainda no intervalo de shows que compõem a programação musical da edição paulista, como o do cantor Arnaldo Antunes, no próximo sábado (26).
Além do rap dos ODS, um dos destaques da abertura da edição paulista esse ano é a instalação “Pintado”, do artista plástico Eduardo Srur. Referência à espécie de peixe de água doce, a obra consiste na representação plástica de um pintado com mais de 30 metros de comprimento e 7 metros de altura que irá se deslocar sobre uma plataforma de flutuação, “navegando” pelas águas do Rio Pinheiros, em São Paulo.

Virando cidades

Em sua sétima edição em São Paulo, a Virada é realizada em outras cidades do país como Rio de Janeiro e Salvador e, desde 2015, em Manaus. No mês passado, a capital amazonense realizou a terceira edição local da Virada, com cerca de 300 atividades envolvendo dezenas de voluntários mobilizados pelo lema “vire Manaus”.
Em São Paulo, o evento está realizando de 24 a 27 de agosto cerca de 500 atividades alinhadas aos ODS, em temas como biodiversidade, cidadania, mobilidade urbana, água e consumo consciente.