RDS Rio Negro recebe a 5ª supervisão do projeto Primeira Infância Ribeirinha (PIR) - FAS Amazônia : FAS Amazônia
28/10/2014
Outros

RDS Rio Negro recebe a 5ª supervisão do projeto Primeira Infância Ribeirinha (PIR)


O Projeto Primeira Infância Ribeirinha (PIR) realizou a quinta supervisão, entre os dias 14 a 20 de outubro, em 13 comunidades assistidas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro. A ação acompanhou a aplicação do modelo do projeto, como também a interação das famílias sobre o entendimento do modelo, que visa avaliar o desenvolvimento infantil.
A ação contou com a participação da coordenação do projeto, três supervisores do PIR e 16 Agentes Comunitários de SaUde (ACSs) oriundos dos municípios de Novo Airão, Manacapuru e Iranduba. Consultoras da Unesco do Programa Primeira Infância Melhor(PIM-RS) estavam acompanhando a iniciativa com dois ACS do município de Eirunepé da Reserva Extrativista Rio Gregório (Resex Rio Gregório).
As consultoras técnicas do PIM-RS avaliam o desenvolvimento e implementação do projeto voltados para a realidade amazônica.”O projeto tem demonstrado grandes avanços. Estamos conseguindo emponderar o agente de saUde no conhecimento em desenvolvimento infantil. O PIR está conseguindo passar isso para os pais, avós e parentes cuidadores das crianças”, avalia a consultora do Projeto Primeira Infância Melhor (PIM-RS), Letícia Boeira.
A quinta supervisão também contou com a visita técnica de representantes do Centro de Estudos da Cultura e do Meio Ambiente da Amazônia â?? Rioterra. O centro de pesquisa pretende criar projeto voltados para a primeira infância, inserida na agricultura familiar. Sendo que o PIR foi indicado pela instituição como modelo de referência voltado à saUde da primeira infância na Região Norte do Brasil.
Os benefícios das ações do PIR na RDS do Rio Negro é visível pelo desenvolvimento infantil e o apoio nas necessidades de atendimento para as famílias ribeirinhas. “Quando as crianças ficam doentes ou precisam de vacinação, recebemos o apoio da agente comunitária”, comenta a moradora da comunidade Tumbira, Ozana Lima da Silva, 23 anos, casada, mãe de seis filhos na faixa etária de 11 anos a 8 meses de idade.
Até o fim deste ano, a coordenação do projeto PIR realizará o balanço de resultados sobre o alcance das metas definidas no projeto. Entre elas estão o modelo de visitação e a capacitação e supervisão dos ACSs. “Nessa supervisão fizemos avaliação do modelo aplicado nas crianças e se os agente de saUde estão aptos a fazer esse modelo, sem o nosso acompanhamento”, explica Rhammily.

Parcerias do PIR

O PIR é desenvolvido pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS),em parceria com o Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS) e a Secretaria de Estado da SaUde (Susam), financiado pela Fundação Bernard Van Leer. Atualmente, o projeto atua nas comunidades: Terra Preta, Santo Antônio do Acajatuba, Tumbiras, Carão, Santa Helena, Saracá, Camará, São Tomé, São Francisco do BujarU, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Nossa Senhora de Fátima Nova Aliança, Marajá, Nova Esperança, Tiririca, Santo Antonio, 15 de Setembro, Nossa Senhora da Conceição, Terra Santa que estão distribuidas entre os municipios de Iranduba, Novo Airão e Manacapuru.